• Luis Moreira

ÁREAS VERDES URBANAS: EQUILÍBRIO AMBIENTAL E SAÚDE MENTAL PARA A POPULAÇÃO

O estresse da vida urbana aliado ao confinamento recente da população podem representar um desafio em termos de saúde mental para nossa população. Contudo, esse efeito pode ser atenuado com simples cuidados urbanísticos e com a presença de áreas verdes nas regiões residenciais dos bairros residenciais. Durante longos períodos de restrição de circulação, a simples “vista verde” de uma janela pode aliviar em muito o estresse, diminuindo os efeitos negativos da poluição visual do concreto. Cientistas holandeses do Centro Médico da Universidade Vrije analisaram dados de quase 350.000 holandeses que viviam próximo a jardins, parques e outros espaços arborizados. O estudo concluiu que esses moradores apresentavam as menores taxas de uma série de doenças como ataque cardíaco, asma, ansiedade e depressão. Não é incomum vermos, nas redes sociais, relatos de pessoas admirando pássaros nas árvores próximas às suas janelas e, embora pareça algo de pouca relevância, isso contribui em muito para o bem-estar dos moradores das metrópoles. Além do conforto da “visita de pássaros”, as áreas verdes cumprem uma função vital no controle da temperatura dos bairros residenciais, evitando a retenção de calor em áreas cimentadas. Da mesma forma como protegem contra o calor, áreas verdes ajudam a minimizar os danos causados por fortes chuvas, contribuindo para diminuir as áreas impermeáveis que causam alagamentos. Escrito pelo Jornalista: Roger Mcnaught

23 visualizações

©2019 por Rio Boa Praça. Orgulhosamente criado com Wix.com